Seja Bem Vindo, 19 de Fevereiro de 2020.
Peixoto de Azevedo - MT
Notícias
Estado
Manifestantes repudiam contratação do goleiro Bruno pelo Operário
Diversas pessoas manifestaram, na noite de terça-feira (21), contra a vinda do goleiro Bruno Fernandes para o Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense.
Publicado em: 22/01/2020 ás 09:50:00 Autor: Olhar Direto Fonte: Olhar Direto
Foto Por: Divulgação

Diversas pessoas manifestaram, na noite de terça-feira (21), contra a vinda do goleiro Bruno Fernandes para o Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense. Inicialmente previsto para ocorrer na Arena Pantanal, em Cuiabá, o protesto foi transferido para o entorno do estádio Dito Souza, instalado no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande, onde seria realizada uma partida de futebol do tricolor.

 

As mulheres estavam vestidas de preto e, além de cartazes, seguravam um cartão vermelho nas mãos, que indica a expulsão de um jogador em uma partida de futebol. O ato organizado pelo Bloco das Mulheres contou também com a presença de homens, que seguravam cartazes com frases do tipo: 'Feminicida não pode ser exemplo'; 'Matar mulher é grave sim'; 'Não compre ingresso, não pague para ver feminicida'; 'Operário sim, assassino não'.

 

O Bloco das Mulheres é composto por um coletivo feminista, que realiza manifestos contra as violações de direitos humanos, em defesa da classe trabalhadora, das minorias sociais e luta contra o que eles chamam de arbitrariedades do Governo.

 

Em relação ao ato de repúdio pela contratação do goleiro Bruno,  coletivo esclareceu que "repudia todos os bruno(s), violentos, agressores, machistas que podem estar em qualquer lugar, em casa, no trabalho, na música e no campo de futebol".

 

O Bloco ainda ressaltou que Bruno é uma figura popular e o futebol é um esporte que, no Brasil, possui uma representação social significativa, que faz ascender a figura do jogador como herói. Portanto, segundo o coletivo, permitir que sua ressocialização aconteça em um time de futebol é contribuir para que a figura de um assassino feminicida seja exaltada.

 

Bruno Fernandes ficou nove anos preso pela morte de Eliza Samudio e deixou a prisão em julho de 2019, após conseguir na Justiça a progressão de regime para o semiaberto. Em agosto de 2019 ele assinou contrato com o Poços de Caldas F.C., porém deixou o clube dois meses depois.

 

Na última sexta-feira (17), o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) autorizou que o goleiro Bruno cumpra pena em Várzea Grande, Mato Grosso. ​Assinada pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da Vara de Execução em Meio Aberto e Medidas Alternativas da Comarca de Varginha, Bruno deve ser anunciado como jogador do Operário.

  • Tags:
  • Protesto
©2020 - Resumo Diário - Todos os direitos reservados.