Seja Bem Vindo, 25 de Fevereiro de 2020.
Peixoto de Azevedo - MT
Notícias
Política
Governo retoma transplante de rins em Mato Grosso que estava parado há uma década
Pacientes que realizam tratamento renal e precisam receber uma doação de rim poderão fazer todo o processo de transplante em Mato Grosso.
Publicado em: 16/01/2020 ás 09:34:00 Autor: Assessoria Fonte: Assessoria
Foto Por: Assessoria

Pacientes que realizam tratamento renal e precisam receber uma doação de rim poderão fazer todo o processo de transplante em Mato Grosso. Os atendimentos, paralisado há 10 anos, foram restabelecidos ontem, após a realização do primeiro procedimento cirúrgico que transplantou o órgão entre duas irmãs.  A cirurgia, que durou aproximadamente sete horas, sem nenhum tipo de complicação, foi realizada pela equipe do Centro Cirúrgico do Hospital Santa Rosa, credenciado pelo Ministério da Saúde para operação de transplante renal no Estado.

 

O governador Mauro Mendes, acompanhado da primeira-dama Virginia Mendes, comemorou o resultado do retorno deste importante serviço de saúde no Estado. Ele destacou que os pacientes que aguardam pelo procedimento poderão realizar a cirurgia que será ofertada pelo Sistema Único de Saúde. “Hoje é um dia muito especial para a saúde pública do Estado de Mato Grosso, pois temos a alegria de anunciar que foi feito o primeiro transplante de rim aqui no Estado de Mato Grosso. Após 10 anos, depois que nós perdemos a habilitação para fazer transplante renal aqui nos hospitais do Estado, estamos reativando o serviço. Mato Grosso era um dos poucos estados brasileiros que não realizava essa cirurgia. Depois de muito trabalho da equipe da Secretária Estadual de Saúde, do Hospital Santa Rosa – que foi habilitado para realizar os procedimentos 100% pelo SUS – os pacientes poderão fazer a cirurgia sem precisar pagar nenhum centavo por esse procedimento”, ressaltou o governador.

 

Ele também disse que a reativação do serviço irá proporcionar um “alivio” aos pacientes, pois com essa oferta de transplante renal, todos poderão realizar a cirurgia sem precisar sair de Mato Grosso. “São quase mil pacientes em nosso Estado que têm indicação clínica para transplante. Esses pacientes poderão procurar nossa Secretaria para realizar os procedimentos e, nos próximos meses, se Deus quiser, essas pessoas terão suas dores e sofrimentos aliviados pela possibilidade da realização desse procedimento feito em Mato Grosso”, acrescentou.

 

Além do trabalho do governador, esse resultado faz parte do esforço e dedicação da primeira-dama Virginia Mendes, sensível à causa justamente por ter um rim transplantado há quase seis anos. Madrinha oficial do transplante renal, a primeira-dama trouxe celeridade ao processo. Virginia acompanhou todas as etapas, fortaleceu a causa e pediu para que toda a equipe de profissionais da Secretaria de Estado de Saúde, sob a gestão de Gilberto Figueiredo, dedicasse empenho nas tratativas formais junto ao Ministério da Saúde para o retorno dos serviços. “Estou muito feliz! Primeiramente agradeço a Deus. Agradeço também ao nosso governador por estar proporcionando tudo isso e agradeço a toda a equipe médica, pois foi um procedimento realizado com muito sucesso. Eu sou transplantada, eu só tenho a agradecer”, disse ela. A primeira-dama aproveitou para sensibilizar as pessoas sobre o tema. Ela explicou que pessoas vivas, em caso de compatibilidade, podem realizar a doação de rim. “Aproveito a oportunidade para falar às pessoas que não tenham medo do transplante, vocês podem ser doadores em vida. Como exemplo, está aqui meu esposo, minha alma gêmea, minha vida, que me salvou e é um doador vivo. As pessoas não precisam ter medo da doação, somos testemunhas que isso pode ser feito para salvar vidas. Além de mim, temos o caso dessas duas irmãs que realizaram este lindo gesto de puro amor na doação de rim entre vivos”.

 

O programa de transplante renal iniciou suas atividades em 1999. Porém, a última cirurgia de transplante de rim realizada em Mato Grosso ocorreu em maio de 2009. O reflexo da desativação desse procedimento foi o acúmulo de pacientes na fila de espera e que precisaram ser encaminhados para outros Estados para realizar o procedimento. De acordo com os dados da Central de Transplante da SES-MT, atualmente, 1.800 pacientes estão realizando hemodiálise. A estimativa é de que 50% dessas pessoas tenham indicação para o transplante renal. Diante desse percentual, o secretário estadual de saúde, Gilberto Figueiredo, comemorou a reativação dos procedimentos de transplante renal no Estado e destacou que esse “é um momento histórico para o Estado de Mato Grosso, uma grande conquista não apenas para SES-MT, mas principalmente para quem necessita deste serviço interrompido há 10 anos”.

  • Tags:
  • Retorno
©2020 - Resumo Diário - Todos os direitos reservados.