Seção de atalhos e links de acessibilidade

Política 29/06/2020 às 09:02

Fonte: Muvuca Popular

Escrito por: Muvuca Popular

Delator aponta que Taques foi beneficiado por empresário

Polícia Federal investiga Pedro Taques por caixa 2 em campanha

APolícia Federal abriu inquérito para investigar possíveis crimes de caixa 2 cometidos pelo ex-governador Pedro Taques (SD)

e o ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB) durante a campanha de 2014.


Foto Principal Notícia

Foto Por: Divulgação

APolícia Federal abriu inquérito para investigar possíveis crimes de caixa 2 cometidos pelo ex-governador Pedro Taques (SD) e o ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB) durante a campanha de 2014.

De acordo com o inquérito, a apuração dos fatos tem por base a delação do ex-secretário de Educação, Perminio Pinto.

O delator aponta que tanto Taques quanto Leitão foram beneficiados pelo empresário Fabiano Bearare da Costa, proprietário editora Terra do Saber, que em 2014 havia realizado doações de campanha não contabilizadas’.

Perminio chegou a receber do empresário R$ 175 mil em sua própria conta bancária, para que fizesse pagamentos da campanha de Nilson Leitão. Cópias do extrato bancário de Perminio foram anexadas no inquérito.

Segundo as investigações, o ex-secretário afirma que Leitão tinha revelado na época das doações que o então candidato ao governo, Pedro Taques, “também havia recebido doação eleitoral do mesmo empresário, tendo o valor sido recebido pelo então secretário da Casa Civil de Mato Grosso, Paulo Taques, primo do governador Pedro Taques, não sabendo dizer a forma que o recurso foi repassado”, diz trecho do documento.

Já em 2015, quando Perminio já atuava como secretário de Estado, sob orientação de Nilson Leitão, o empresário o procurou para apresentar um projeto educativo, sendo que tal projeto seria uma contrapartida ao pagamento de despesas de campanha não contabilizadas de Taques e Leitão. O empresário também teria se reunido com o governador na época.

Após este encontro, Perminio teria recebido um envelope com a documentação impressa e um CD-R contendo as documentações necessárias para a realização do processo licitatório.

“Desta forma, em contrapartida às supracitadas doações eleitorais, o então governador Pedro Taques cobrou a implementação do projeto, denominado Pipocando o Saber”, diz trecho do documento.

Perminio ainda diz que chegou a preparar o processo licitatório com pareceres favoráveis da área pedagógica e jurídica.

A sua gestão também teria feito a reserva orçamentária para implementação do referido projeto. “Entretanto, esse projeto não teria avançado em razão de dotação orçamentária insuficiente”, consta no depoimento.

A Polícia Federal já solicitou informações da Seduc a respeito do projeto, bem como informações a respeito da entrada do empresário no Palácio Paiaguás, Casa Civil e Seduc, entre os anos de 2014 e 2016.



Ver mais